2 anos perdidos… na selva… de pedra…

Screen Shot

Como diria o Tio Bamerindus: “o tempo passa, o tempo voa…” e o Kitupiras achava que tudo ficaria numa boa… Mas não. Seguimos debatendo as mesmas coisas em graus ainda mais elevados e, pior, exaltados. Sabe-se que política no Brasil nunca foi simples, muito menos transparente… mas diante do post abaixo é triste observar que tanto se passou sem que andássemos nada…

A BEIRA DA LOUCURA OU DA GUERRA CIVIL?

RETROCEDEMOS… Perdemos qualquer benefício da evolução com as demonstrações de ódio, desrespeito e violência contra a opinião… Hoje o que se vê nas ruas são pessoas cegas, burras… em prol de um lado que não é certo para ninguém…. o lado da estupidez… somos todos brasileiros e lutamos, sim, por um país melhor… por crescimento, por educação… De arma na cintura, ao estilo justiça pelas próprias mãos, “Bolsonarinho” mais do que defende as suas ideias (algumas até das quais eu compartilho)…  ele coage as pessoas a aceitarem suas “convicções”…. Quem vai discutir com um cara armado e “credenciado”…. Lobão, coitado, em outras épocas aqui elogiado… se perdeu e seu rebanho se desfez… O que estão incitando em nome do caminho certo, é uma guerra moral… uma guerra sem precedentes… a coação ao direito de opinião… vejam a agressividade dos manifestantes contra os contrários aos seus devaneios… se a luz não pairar sobre as cabeças escaldantes, cabeças vão rolar… e sem que ninguém saiba ao certo porque… esses caras aí querem essa responsabilidade em suas costas?? Querem? Acho que sim… acho que querem ver o circo pegar fogo e depois, sem qualquer remorso, subir num avião rumo aos destinos capitalistas para saciarem sua sede de nonsense…. indo para longe e transformando o sertão que se tornou o Brasil… num mar de sangue (vermelho)…

Eleições 2012 – Releitura da Releitura

Imagem

 

O Kitupiras dormiu no ponto. Após longos posts sobre política, deixamos passar as eleições… mas teria sido proposital? Confesso que não… passadas as apurações, inclusive nos EUA, com vitória de Obama, me dei conta de que houve eleição somente agora…
O pior disso tudo é que agora estou em débito com a justiça eleitoral… e nem foi por sacanagem não… é que não fiz questão de acompanhar nenhum blábláblá de candidato… preferi usar o tempo a meu favor, já que os minutos andam escassos ultimamente… é trabalho, casa, família… tanta coisa mais importante… acabei perdendo a data… Uma pena, pois poderia ter justificado já em alguma sessão qualquer e me liberado de ter que ir ao cartório… Enfim… há anos venho propagando que a maior arma da democracia é o não comparecimento às urnas… quer se mostrar indignado?? Não vote… É muito melhor do que os votos de protesto que levam verdadeiros inúteis às cadeiras do poder… Lembrem-se que mesmo achando graça de eleger um idiota qualquer… é ele que nos faz de idiotas quando chega a conta da lambança… é muita grana que sai do bolso dos contribuintes para manter a palhaçada inoperante… e por falar nisso… palhaçada é ver o circo da campanha eleitoral… debates, ataques e embates…. desonra… violência e calúnia… e depois, todos sentados na mesma mesa… buscando compor bancadas, bases… como sempre fazem… já vi isso em outros carnavais… é antigo… virou parte do filme… que muitos ainda fazem questão de assistir… Amigos, quem espera mudanças dorme na inocência… se quiser mudar algo… levante a bunda do sofá… e vá fazer algo mais produtivo em vez de ir votar…

PARAR PARA PENSAR…

Não costumo postar textos de outros… como a maioria já sabe… mas vez ou outra… as palavras me cabem tanto… que acho válido (desde que dê o crédito)… Segue o post…

A hora certa – Roberto Colucci Montana

Quando olhei para o futuro já não havia muito mais o que esperar. Passei os últimos anos ocupado demais tentando salvar empresas, empregos, investimentos. Não os meus, é claro, mas o de outras pessoas. Minha vida ia bem, acelerada como a de todo paulistano na minha idade. Já não percebia que os mais novos estavam assim também. Respondendo por tarefas que jamais poderiam estar em suas mãos. Foram promovidos sem saber. Estavam anos e anos a frente de suas habilidades e capacidade de entender que o amanhã sempre estará lá, independentemente de quem se atreva a desafiá-lo. Muitas vezes, atrás de papeis e pendências, esquecemos que a decisão no fim é nossa. Você pode simplesmente encarar o dia seguinte ou continuar atrás da montanha de jobs. Você pode dizer basta, mas algo lá no fundo da sua essência o mantém alerta e pronto a seguir sem questionar. Uns chamam de sobrevivência e outros de responsabilidade. Eu aprendi a chamar de burrice. Lutamos a maior parte do nosso tempo por problemas que nem chegam a ser problemas e muito menos, nossos. A felicidade ganha insignificância, os momentos mágicos se tornam bobeiras e emoções são descartadas. Nossa briga maior, nossa vantagem legítima contra sistemas e máquinas se perdeu na velocidade da vida moderna. A revolução digital nos ligou de tal forma às máquinas, que passamos a ser uma delas.
Perdi anos tentando me convencer do oposto, mas foi inútil. O que vi foram exemplos e mais exemplos reais de como as pessoas perderam sua capacidade de decidir por elas mesmas, de errar e acertar por elas mesmas. E isso tudo, por causa da falta do simples exercício de olhar nos olhos, de interagir e se comunicar de verdade. Hoje os jovens colocam seus caminhos no GPS e são guiados por falhas, hoje eles tem um milhão de amigos
em todas as redes, mas vão ao cinema sozinhos. Ignoram colegas de classe e de trabalho, não falam, não ouvem. São donos de seu próprio universo, mas que mundo é esse? É o virtual. Lá são os bons, criam suas regras, seu dinheiro e verdades que não sobrevivem à travessia de uma avenida. O que me impressiona é a idade cada vez menor com que se alienam e se trancam para o todo, deixando de fora o valor do toque, a sabedoria que vem da experiências e da vivência. Estão imersos em mentiras, falsas promessas e testemunhos equivocados. O mais triste é que pessoas e empresas por mais diferentes que pareçam, vivem do mesmo ar. E vejo ambos morrendo pela vaidade e pela aposta na incerteza. Talvez seja tarde e perdemos de vez uma era, mas o caminho está lá e pode ser mudado. A pergunta é: ainda interessa? A mim sim. E brigarei pelo direito de devolver aos meus filhos e netos um futuro equilibrado e saudável. Não existe de fato a hora certa para mudar, mas existe o momento de acordar e saber que é possível reagir e voltar a viver.

BULLYING NO TRÂNSITO

Você também sofre com isso


O trânsito de São Paulo faz Bullying contra o paulistano e contra qualquer cidadão que trafega por suas vias… Temos que sofrer calados todo dia… Seja pela ação do governo (ou pela sua ausência total) ou a dos próprios motoristas e motoqueiros… que perderam totalmente as noções de humanidade… É um descaso total, ético, moral e cívico… Se tornou insuportável… O trânsito é diário… tem buzina, sinal quebrado, cruzamento em obra, acidente… e sem nenhuma providência… De fato, ninguém vê ações que queiram mudar isso realmente… É só discurso… é tudo máscara… Porque se você parar para pensar, o governo lucra muito mais pondo um carro na rua do que tirando… Para tirar ele tem que gastar dinheiro, investir em obras, etc… E com carros na rua ele só arrecada… Então é bullying mesmo, é violência, é agressão, é contra a constituicão… Eles deviam nos proteger disso tudo, mas é tudo ao contrário… É humilhante dirigir em são paulo… E o assunto infelizmente virou esse… Cada vez mais, o mundo inteiro sofre com atitudes que podem ser caracterizadas como bullying… seja contra os cidadãos, contra a humanidade em si… Isso já existia antes contra os animais, contra as florestas… Mas agora é guerra… Está contra tudo.. E é impressionante… a gente continua sofrendo e não tem com quem reclamar… Os agressores são os mais fortes, é o grupo que controla, que comanda… Eles te agridem, você é o mais fraco… E aí você vai reclamar com o cara que está te agredindo? Com as pessoas que estão lá em cima e que podiam parar com isso? Que deviam olhar a situação de forma abrangente para resolver os problemas? Picas rapaz… Não adianta nada… Eles só lucram em cima de você… e preferem continuar assim, sendo os maiorais… Parece aquele lance do valentão da escola que rouba o lanche do baixinho no recreio… Na verdade o baixinho nem quer estar lá… mas naquele momento ele é obrigado a estar…  não tem alternativa… Assim como nós que somos  obrigados a viver assim, a estar no trânsito… Eu não quero, garanto para vocês… e tenho certeza que a maioria também não quer… Mas tem que estar, fazer o quê? não tem linha de metrô, não tem corredor de ônibus, não tem nada… É uma puta sacanagem… é a maior de todas as sacanagens… E ainda jogam o discurso como se o motorista fosse o culpado… Pô, isso é Bullying galera, abram os olhos… Somos vítimas e deveríamos procurar nossos direitos… Chamar o Lobão para ajudar… botar essa parada toda na pá do ventilador… buscar um jeito de travar tudo e acabar com essa vergonha que a gente tem que engolir sem vaselina… No Globo Repórter de sexta-feira (1º de abril – e não era pegadinha não) tinha mais um exemplo… do bullying contra os doentes, contra quem não tem dinheiro para pagar assistência médica… Os jornais noticiam sim… Muitos são vendidos, mas sempre reservam um espacinho para a desgraça… É só esquecer o futebol por um tempo e focar nas matérias… Falam de pais que perderam o bebê porque o hospital não quis fazer o parto… mostram as construções de hospitais, verdadeiros elefantes da megalomania política, entregues ao tempo e gerando mais doença… É dengue, parasita, lixo… e assim vão fodendo também a segurança… Tem marginal usando habitação abandonada do governo como mocó… Como centro de estupro e consumo de drogas… A coisa tá feia e vai sobrar para todo mundo… A gente alerta aqui no Kitupiras e o pessoal acha que é surto de maluco que não tem o que fazer… Galerinha, acordem mesmo… Já pintei a cara por vocês, pelo futuro do Brasil que é AGORA… E assim conseguimos permitir o acesso de vocês ao X-Box, nintendo, internet e celular… Então molecadinha, chega de bunda-molismo… Hoje é a vez de vocês ajudarem a botar ordem nessa merda… Por vocês e pelos seus filhos… Obrigado e desculpem o desabafo…

O TERREMOTO QUE ABALOU MEU CORAÇÃO

Japão, março de 2011, milhares de vítimas… terremoto, tsunami, vazamento nuclear… mas a notícia que me fez tremer (e voltar ao kitupiras) é mais antiga… pouco mostrada, escondida debaixo do rio de sangue de milhares criaturas… sem querer, buscando mais notícias sobre a tragédia lá do outro lado do mundo, achei um vídeo terrível… Sinceramente não recomendo aos que tem coração fraco… não sei como postá-lo aqui, mas deixo o link: http://www.glumbert.com/media/dolphin/

AVISO! Imagens fortes, chocantes e para maiores de 18 com certeza…

INAUGURAÇÃO TARDIA

Olá amigos.. Confesso que ensaiei alguns textos para começar o ano, mas fiquei sem coragem de chegar aqui e sair desejando feliz 2011 para todos… Pois é, como é que vamos saber se vai ser bom, feliz, generoso, calmo, pesado, triste, penoso… É difícil mesmo… Até porque meu começo de ano foi um dos mais conturbados da minha existência… Pelo menos da que me lembro até aqui… Trabalho a mil, fim de férias e começo das aulas na nova escola das filhas… Problemas com o site do banco Santander, problemas com a lei: recebi duas multas num só dia… E ambas na mesma estrada e, por incrível que pareça, no mesmo horário (12h16 – as duas)… Deve ter sido a velocidade do som que me levou a tomar duas flashadas em kilometros diferentes mas no mesmo tempo… Só quero ver se vão cancelar essa aberração com a mesma rapidez… É esperar para não ver… Enfim, me restou falar sobre a esperança, porque o pé direito foi um pouco torto… Estou confiante que esse será um dos anos mais produtivos… Teremos muito trabalho, muita novidade… Muitas ofertas para quem precisa, muitas oportunidades para os oportunistas… Espero que a nova presidenta faça jus à confiança recebida… Que o povo receba o que merece… Ou que faça por merecer, que é a melhor coisa a se desejar… e assim vamos… Deixem as previsões patéticas do tipo “teremos desastres aéreos”, seca no nordeste, chuva no sul… E concentre-sem na vida… Ando filosofando bastante… E acho que por isso, ao contrário do resto… meu texto para o dia 1º foi a única coisa que chegou com seu prazo de validade expirado…